MP do Amazonas abre investigação sobre falta de oxigênio hospitalar no estado
18/01/2021 06:58 em Saúde / Beleza

O Ministério Público do Amazonas vai investigar a atuação de pessoas físicas e jurídicas, servidores e entidades envolvidas na crise de saúde do estado que levaram a episódios de sofrimento e morte de pacientes no estado. Nesta semana, o sistema de saúde local colapsou com a falta de oxigênio hospitalar.

As unidades de saúde também estão lotadas, devido ao aumento no número de internações por Covid-19. Pacientes estão sendo transferidos para outros estados.

Dados do último boletim apontam 50 mortes por Covid-19 e 2.856 novos casos da doença. Já são 6.123 mortes e 229.367 pessoas contaminadas pela doença.

De acordo com informações do G1, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deverá atuar, principalmente, no que diz respeito ao caos por falta de oxigênio. Em nota, o MP falou em “caráter emergencial dos fatos” e em “possível atuação criminosa organizada”.

Em manifestação, o Gaeco orientou que sejam oficiadas entidades como: a empresa White Martins, fornecedora do oxigênio hospitalar; a Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas, solicitando relatório sobre os fatos referentes à falta de oxigênio em Manaus e cópias do contrato com a White Martins e dos processo de pagamento e fiscalização do cumprimento do contrato; a 70ª Promotoria de Justiça da Capital e o CAOPDC, solicitando cópia de documentos referentes à crise de janeiro; e as empresas Carboxi Indústria e Comércio de Gases e Nitron da Amazônia, informando a capacidade de produção e disponibilidade de estoque de gases medicinais em cada uma. Também há expedição de Ordem de Serviço ao Núcleo de Diligências para levantar dados de vítimas e profissionais de saúde.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!