Disputa real pela presidência da CMS agita bastidores e tenta ficar fora de holofotes
26/10/2016 08:23 em Brasil

Logo após o resultado das urnas, no começo de outubro, os vereadores iniciaram as negociações nos bastidores para a eleição da Mesa Diretora dos legislativos municipais. Em Salvador, a Câmara mais robusta do estado – tanto em número de cadeiras quanto em orçamento – começou a observar uma disputa silenciosa pelo controle do poder. Até o momento, nenhum dos nomes se coloca oficialmente na disputa. Porém é sabido que Paulo Câmara (PSDB) e Léo Prates (DEM) travam uma batalha um pouco mais pública, apesar de bem distante dos holofotes e pelo fato de outros nomes, a exemplo do “Movimento Câmara Democrática” (veja aqui), tentarem arvorar espaço na disputa. Duas vezes eleito presidente da Câmara, o tucano tenta permanecer na função para um terceiro – e último – mandato, já que o novo regimento interno, editado na atual legislatura, proíbe reeleição para presidência num mesmo exercício. Já Prates articula, dentro da base do prefeito ACM Neto (DEM), uma eventual candidatura sob a égide de ser próximo ao gestor e apontado como uma das peças-chaves para a aprovação de projetos do Executivo no atual mandato. Os demais possíveis nomes citados na disputa, Joceval Rodrigues (PPS), Isnard Araújo (PHS), Geraldo Jr. (SD) e Tiago Correia (PSDB), lutam para conquistar espaços frente ao futuro político dentro da própria Câmara, cada um dentro dos interesses e das próprias limitações. Em um cenário que começa a se tornar menos turvo, são considerados meros peões no xadrez político do legislativo soteropolitano. Por deter a máquina da Casa, Paulo Câmara é apontado com ligeira folga na corrida. Mas não é de todo mal lembrar que, num passado não tão distante, as mudanças de última hora foram decisivas nesse embate e, na ocasião, entrou água no caldeirão fervente da Câmara de Salvador.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!