Aderllan compara resultado com tragédia da Seleção: 'Foi um 7 a 1'
24/07/2018 08:42 em Esporte

"Ontem [domingo] foi um dia que não tem explicação. Eu comparo o jogo com o 7 a 1. É para apagar”. No dia seguinte à goleada por 4 a 1 sofrida para o Bahia, foi assim que o zagueiro Aderllan tratou a derrota no Ba-Vi. Possivelmente a maioria dos torcedores concorde que não houve exagero no discurso do defensor.

A partida trouxe mais uma exibição das fragilidades defensivas do Vitória. Com os quatro gols sofridos, o time chegou a 27 e disparou como a defesa mais vazada do Brasileirão. A título de comparação, Atlético-MG e América-MG foram as outras equipes que mais levaram gols, com 22 cada uma.

A defesa do Leão acumula ainda outro número negativo: foi a terceira goleada sofrida no Campeonato Brasileiro. Antes, o time já havia sido derrotado por 3 a 0 pelo São Paulo, e por 5 a 2 pelo Santos.

Como alternativa para reverter o complicado panorama do sistema defensivo, é provável que Vagner Mancini lance Ruan Renato como titular nos próximos jogos. O zagueiro foi um dos oito jogadores contratados pelo Vitória na parada para a Copa do Mundo.

O 4 a 1 fez o Vitória voltar a rondar a zona de rebaixamento. Com 15 pontos, a equipe ocupa a 16ª posição, a primeira fora do Z-4. Quem abre o grupo dos rebaixados é o América-MG, com apenas um ponto a menos que o Rubro-Negro. A situação fez os jogadores reacenderem o sinal de alerta na Toca do Leão.

“Sabemos que a zona de rebaixamento está aí. Se a gente não fizer três ou quatro vitórias seguidas, vamos estar sempre beirando a zona de rebaixamento. Temos que fazer aquilo que não fizemos no domingo”, indicou Aderllan.

Treinador ameaçado?

Não é possível saber se internamente o resultado fez Vagner Mancini balançar no cargo, mas é certo que entre os torcedores, a paciência com o treinador é cada vez menor. Aderllan aproveitou a entrevista coletiva desta segunda-feira, 23, para sair em defesa do técnico rubro-negro.

“A culpa é nossa [jogadores]. A gente sabe aquilo que tem que fazer. Quinta vamos ter que fazer tudo diferente para dar certo”, disse o zagueiro, que já projetou a partida de quinta-feira, contra o Sport, no Barradão, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Além da equipe pernambucana, até o fim do primeiro turno do Brasileirão o Vitória ainda terá pela frente Atlético-PR, Cruzeiro, Grêmio e Palmeiras. Os três últimos, times que brigam na parte superior da tabela. Aderllan reconheceu a dificuldade dos próximos jogos e alertou para a importância de corrigir os erros apresentados no Ba-Vi o quanto antes.

“Jogos difíceis. Brasileirão é isso. Se não fosse o Grêmio, poderíamos pegar Flamengo, Vasco... Todos os jogos são difíceis. A gente tem que se preparar, tem que olhar para nós mesmos. Não cometer os mesmos erros”, decretou.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!