Cerimônia do Prêmio Braskem de Teatro trará história do TCA: 'Será sensorial e imersivo'
19/04/2017 - 8h49 em Brasil

A classe artística teatral de Salvador está em clima de confraternização e o motivo é simples: Prêmio Braskem de Teatro. A disputa pelos ingressos já começou e não é à atoa. Afinal, o evento, que é considerado a maior premiação das artes cênicas do estado, chega a sua 24ª edição nesta quarta-feira (19), com uma cerimônia que trará os 50 anos do Teatro Castro Alves como tema principal - o local é sede do evento desde a primeira edição-, além de realizar uma homenagem aos atores Fernando Fulco e Nadja Turenkko, nomes de grande contribuição para o cenário local.  No total, 5 indicados disputam cada uma das 8 categorias (Espetáculo Adulto, Espetáculo Infantojuvenil, Direção, Ator, Atriz, Texto, Revelação e Categoria Especial) em busca dos troféus e prêmios em dinheiro, que variam entre R$ 5 mil e R$ 30 mil. “Fiquei feliz e meio sem acreditar, não pela falta de qualidade do meu trabalho, mas por seu meu primeiro solo, sabe? Foi um processo que nunca imaginei em fazer na carreira artística e, de repente, topo o desafio e recebo a indicação. É um reconhecimento de trabalho. Traz uma visibilidade maior ao processo”, admite Eddy Veríssimo, indicada a melhor atriz pela atuação em Sobejo, com direção de Luiz Buranga. Eddy já havia sido indicada em 2004 como atriz coadjuvante, mas não esconde a importância de ser lembrada pela comissão em um monólogo que aborda a violência contra às mulheres. “É uma dramaturgia muito visceral, sabe? Conta a história de uma mulher que sofreu por ser negra e gorda. É muito forte. Quando penso na felicidade de poder ter dado vida a essa personagem é tão significativo, pois, enquanto mulher, sou violentada todos os dias, quando, por exemplo, um cara passa, mexe comigo e depois me xinga quando não retribuo”, lembra.

 

Eddy Veríssimo | Foto: Divulgação

 

A direção artística da cerimônia da entrega coube, pela terceira vez, ao diretor teatral Márcio Meirelles. Jornal, papelão, lona de caminhão, material sintético e telões gigantes irão envolver o palco principal do Teatro. Nos telões serão projetadas imagens de alguns momentos importantes da história do TCA. Os figurinos, assinados pela cantora, compositora e artista plástica Rebeca Matta, serão usados pela cantora Manuela Rodrigues e pelos músicos da Orquestra Castro Alves (OCA), que integra os Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba). “Será um espetáculo sensorial e imersivo, quase uma instalação audiovisual com música, elementos cênicos e de outras línguas, que, às vezes, serão superpostas. Vamos falar da inauguração, do incêndio e do que o teatro abriga em si, das pessoas que atuam, que trabalham e que criam narrativas”, destaca o diretor.  Um dos recordistas de indicações este ano é o ator Sulivã Bispo, que ficou conhecido do público ao fazer a personagem “Mainha”, da série de internet “Frases de Mainha” (veja aqui). Além de concorrer como melhor Ator pela atuação em Kaiala, Rebola e Romeu & Julieta, outros dois espetáculos que ele integra, disputam na categoria de Texto, Direção e Espetáculo Adulto. “É um retorno muito bacana o que a Braskem faz, né? O que aquela cerimônia e o prêmio são, né? Acho que é um reconhecimento muito legal. Só de ser indicado, ficamos muito felizes porque sabemos que o teatro baiano é tão rico, mas difícil de se manter. É complicado viver da arte aqui no Brasil. Então, o prêmio traz esse incentivo muito forte para continuar lutando e seguindo. Além do mais, é um dia em que a classe se une para festejar e comemorar”, lembra.

 

Sulivã Bispo | Foto: Divulgação

 

Quanto ao processo de seleção dos espetáculos, foram avaliadas 53 peças teatrais baianas consideradas profissionais e inéditas, que estiveram em cartaz em Salvador de 1º de abril a 18 de dezembro de 2016. Já a comissão julgadora deste ano é formada por Bertho Filho, ator, diretor teatral e dramaturgo; Gordo Neto, ator, diretor teatral e autor; Hilda Nascimento, diretora teatral, preparadora corporal e educadora; Jackson Costa, ator e apresentador; e Kátia Borges, jornalista e doutoranda em Literatura e Cultura pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). O Prêmio Braskem de Teatro (PBT) é uma realização da Caderno 2 Produções e patrocinada pela Braskem e Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda. 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!